O Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas entrou na Justiça para que os governos federal, do estado e a prefeitura garantam a prestação de serviços de saúde básica para os habitantes do município de Ipixuna, a 1.365 quilômetros de Manaus.

Inspeções do MPF realizadas encontraram deficiência no atendimento até em saúde básica, principalmente na zona rural de Ipixuna, que detém 57% da população de 29 mil habitantes do município.

O número de postos nas comunidades rurais está longe do necessário para uma prestação de serviços de saúde básica adequada, avalia o ministério. De 14 que seriam o mínimo para um atendimento razoável de cerca de 29 mil habitantes, hoje são apenas três postos.

Quando das inspeções, a única unidade básica fluvial estava fora de operação e nenhuma das quatro equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família atende a zona rural.

Ipixuna tem ainda um hospital e duas unidades de atenção primária.

Para o MPF, essa estrutura precária é uma afronta a diversos direitos, já que o direito à saúde é pressuposto para acesso a inúmeros outros direitos fundamentais.

 

Leia mais

MPF/AM denuncia saúde caótica em Guajará e prefeito faz acordo

 

Prazo para sair um plano

Na ação, o MPF requer que a Justiça Federal determine ao governo federal, ao Governo do Amazonas e à prefeitura municipal que apresentem, em seis meses, um plano de atendimento digno para toda a população de Ipixuna.

Questionada pelo MPF, a prefeitura afirmou que os moradores da zona rural são atendidos por meio de programa de agentes comunitários de saúde, com visitas rotineiras. Mas, não mostrou documento que prove isso.

A ação tramita na 3° Vara Federal no Amazonas sob o número 1001551-69.2019.4.01.3200, onde aguarda julgamento do pedido de liminar.

 

Leia mais

Ação na Justiça obriga governo a reabastecer rede de saúde em dez dias

 

MPF na Comunidade

Ipixuna, no sul do estado, foi um dos 18 municípios amazonenses visitados pelo projeto MPF na Comunidade, iniciativa do MPF no Amazonas para promover a aproximação entre a sociedade e a instituição.

Também é objetivo do projeto colher demandas relacionadas às áreas de atuação do MPF.

O projeto é regulamentado pela Portaria PR/AM nº 49, de 7 de maio de 2013, e foi institucionalizado pelo MPF.

Em 2014, o projeto MPF na Comunidade recebeu reconhecimento nacional da Associação Nacional de Procuradores da República, durante a solenidade de entrega do 2º Prêmio República de Valorização do Ministério Público Federal.

Fonte: Assessoria de Comunicação MPF/AM

 

Foto: Reprodução_MPF/AM