Em reunião com representantes de trabalhadores terceirizados de empresas contratadas pelo Governo do Estado para prestação de serviços à Secretaria de Saúde (Susam), o secretário Rodrigo Tobias prometeu que o pagamento será feito até o próximo dia 20.

Tobias afirmou que, “de modo geral”, os pagamentos estão sendo feitos com regularidade. Admitiu, contudo, que há atraso com algumas empresas, “mas isto é pontual e já está sendo resolvido”.

O secretário disse ainda que há empresas que receberam os repasses do governo, mas não pagaram seus funcionários. “Temos que analisar caso a caso com vocês e ver de que forma pode ser resolvido”, disse o secretário aos manifestantes que foram protestar em frente à sede da Susam nesta terça, dia 7.

De acordo com Tobias, neste ano o governo já pagou R$ 41 milhões às empresas ligadas ao Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Serviços de Saúde no Estado do Amazonas (Sindipriv), dos quais R$ 12 milhões são de despesas deixadas pelo governo anterior.

 

Leia mais

Susam chama os últimos 774 classificados do concurso de 2014

 

Empresas caloteiras

Presente à reunião, a presidente do Sindpriv, Graciete Mouzinho, pediu que o governo encerre contrato com essas empresas que recebem o dinheiro e não pagam os terceirizados.

Ela aproveitou para expor que o piso salarial da categoria não vem sendo cumprido, e que o problema já foi levado ao Ministério Público do Trabalho (MPT).

Segundo a Susam, o governo Wilson Lima (PSC) recebeu o setor com rombo de R$ 2,1 bilhões (R$ 1 bilhão de déficit orçamentário e mais R$ 1,1 bilhão de dívidas herdadas).

 

Foto: Divulgação/Secom