A Justiça do Amazonas condenou a 151 anos de prisão os quatro envolvidos em crimes de exploração sexual de meninas indígenas do município de São Gabriel da Cachoeira (a 959 km de Manaus).

De acordo com as denúncias contra os réus, eles ofereciam às vítimas, com idades entre nove e 14 anos, aparelhos celulares, roupas, maças e bombons, em troca da virgindade.

Os condenados foram os comerciantes Marcelo Carneiro Pinto, Arimatéia Carneiro Pinto, Manuel Carneiro Pinto e o empresário Agenor Lopes de Souza.

A sentença é em primeiro grau e eles podem recorrer da decisão.

Leia a matéria completa sobre o caso no site Amazônia Real.