Pelo menos 3,6 mil emissoras de televisão e rádio de todo o Brasil repudiam a atitude do senador Eduardo Braga, do MDB do Amazonas, de buscar a cobertura do Supremo Tribunal Federal (STF) para sustentar sua sanha de censura à liberdade de expressão e da imprensa amazonense.

Representando esse universo de veículos de comunicação do país, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) afirma em nota, nesta sexta, dia 15, esperar que o plenário do STF derrube a pretensão do parlamentar, acobertada por uma decisão monocrática de ministro, que afronta posição anterior de outro magistrado da corte.

“A liberdade de imprensa e de expressão é um dos pilares do estado democrático de direito e deve ser sempre preservada”, diz a nota oficial da Abert.

 

Leia mais

Ministro do STF usa caso Eduardo Braga para sepultar censura à mídia

Investigação da PGR de R$ 6 milhões de Eduardo Braga vai ter mais prazo

 

Leia a nota da entidade

 

 

Brasil, perigoso para o jornalismo

Os casos de assassinatos, agressões, ameaças, intimidações e ataques aos profissionais da comunicação que aconteceram em 2018 serão conhecidos na quarta-feira, dia 20, durante o lançamento do Relatório Abert sobre Violações à Liberdade de Expressão no Brasil.

O presidente da Abert, Paulo Tonet Camargo, falará sobre o assunto em entrevista à imprensa.

Entidades internacionais que atuam em defesa da liberdade de imprensa e de expressão, como Repórteres sem Fronteiras (RSF) e Comitê para Proteção dos Jornalistas (CPJ), colocam o Brasil na lista dos países mais perigosos para a prática do jornalismo.

Em 2018, o Brasil ficou na 102º posição entre 180 países avaliados no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa da RSF.

 

Atos violentos preocupam

A violência contra profissionais e veículos de comunicação no Brasil é acompanhada pela Abert com preocupação.

“Toda e qualquer violência é motivo de repúdio, em especial, quando é dirigida a um profissional da imprensa, que tem a missão de informar a sociedade sobre assuntos de seu interesse. É inaceitável a tentativa de impedir a atuação dos profissionais da comunicação na cobertura de tais fatos”, afirma o diretor-geral da Abert, Cristiano Flores.

O lançamento do relatório será na sede da Abert, em Brasília, às 10h. O endereço é SAF/SUL Qd. 02 Bl. D Sl. 101 Ed. Via Esplanada.

Fonte: Abert

 

Fotomontagem: BNC Amazonas