Um casal ficou indignado ao ouvir de um médico do Sistema Único de Saúde (SUS) que só poderia fazer um procedimento na mulher de 26 anos se recebesse R$ 1 mil. O caso chegou ao Ministério da Saúde, às secretarias estadual e municipal no Mato Grosso do Sul, e à direção da Santa Casa de Corumbá. As informações estão postadas no G1.

O médico Ricardo Chauvet, de Corumbá, a 415 quilômetros de Campo Grande, é suspeito de cobrar R$ 1 mil para fazer cirurgia de retirada de um pólipo do útero pelo SUS.

A paciente e o marido gravaram conversa com ele e registraram boletim de ocorrência na Polícia Civil, conforme apurou a reportagem do portal da Globo.

O casal não chegou a fazer o pagamento. O profissional diz que não houve ilegalidade e que aguarda as citações jurídicas.

De acordo o boletim de ocorrência, segundo o G1, a paciente deu entrada na maternidade da Santa Casa de Corumbá no dia 23 de abril, dizendo estar com dores e sangramento no útero.

Lá, o médico, depois de dizer que ela estava com “frescura”, afirmou que seria preciso uma operação para retirada de um pólipo e que cobraria pelo procedimento.

“Eu não faço pelo SUS, tá? Por motivo simples. O SUS paga R$ 24 pra fazer isso. Eu não vou botar a mão no útero de mulher desse tamanho com cinco cesáreas anteriores por R$ 24”. O interlocutor altera a voz quando fala sobre a característica física da paciente.

Após a conversa com o médico, a jovem fugiu do hospital, tentou registrar boletim de ocorrência na Polícia Civil, mas, segundo ela, o investigador que a atendeu afirmou que não havia crime na situação relatada.

O registro policial só foi feito dia 9 de julho, na Delegacia de Atendimento à Mulher, e pelo crime de corrupção passiva.

Leia mais no G1.

 

Foto: Reprodução/Capital do Pantanal