Na última semana, a Câmara dos Deputados virou palco de uma patética disputa entre PT e PSL, que no Plenário fizeram o jogo da mais velha política.

Numa democracia é absolutamente natural que partidos do governo e da oposição se enfrentem no Parlamento. O que não é natural é que, enquanto o país espera um debate sobre projetos para o país, os dois partidos apequenem a Câmara resumindo seu enfrentamento a uma discussão sobre quem roubou mais, quem nomeou mais laranjas ou qual filho cometeu mais crime.

Não é disso que o Brasil precisa!

A disputa rasteira entre PT e PSL não muda nada na vida de ninguém. Não muda nada na vida de quase 14 milhões de desempregados. Não muda nada na vida de empresários vítimas de um verdadeiro manicômio tributário, de uma burocracia absurda e de uma insegurança jurídica que reprime investimentos e afunda negócios.

O debate que o país espera e que muda de fato a vida das pessoas é o debate sobre uma Reforma da Previdência que combata privilégios e ajude a reequilibrar as contas públicas, sobre uma Reforma Tributária que reduza tributos sobre a produção, a folha de pagamento e o consumo, sobre o combate à burocracia, a violência e à corrupção.

O que o país precisa é discutir o porte de carteira assinada, de comida na mesa. O debate que interessa à sociedade é escola sem professor mal remunerado, sem aluno que não aprende, que prepare as futuras gerações para o Brasil sair do vergonhoso índice de produtividade dos últimos anos.

Isso sim é importante para o país porque muda a vida das pessoas!

É hora de criar na Câmara um núcleo de moderação de deputados preocupados verdadeiramente com os destinos do país e com a vida da nossa gente para que os extremistas não sequestrem a pauta política com temas absolutamente secundários.

O país espera muito de nós. Não temos o direito de decepcionar as pessoas. Temos a missão de contribuir com o governo – seja na situação defendendo os projetos, seja na oposição fazendo a resistência democrática que qualifica as propostas – para que o país volte a crescer e gerar emprego e renda.

É hora de deixar de lado histerias e vaidades. É hora de pensar mais no Brasil e nos brasileiros!

 

*Marcelo Ramos, advogado, professor, escritor e deputado federal pelo PR-AM.