O ex-vereador de Diadema Manoel Eduardo Marinho, mais conhecido como Maninho do PT, e o filho dele, Leandro Eduardo Marinho (ambos na foto, partem para cima do empresário, de costas), foram denunciados pelo Ministério Público de São Paulo por agressão contra Carlos Alberto Bettoni, ocorrida no dia 5 de abril, em frente ao Instituto Lula, na região do Ipiranga.

Eles foram denunciados pelo promotor Luiz Eduardo Levit Zilberman por tentativa de homicídio com motivo torpe e cruel.

Bettoni foi agredido em frente ao Instituto Lula após supostamente gritar ofensas ao PT durante entrevista do senador Lindbergh Farias (RJ) à imprensa.

Um dos denunciados empurrou a vítima, que bateu a cabeça em um caminhão que passava no local.

Bettoni foi internado no Hospital São Camilo, onde permaneceu até o final de abril.

Na ocasião, manifestantes pró-Lula estavam reunidos em frente ao instituto após ser divulgada a notícia de que o juiz Sérgio Moro havia expedido ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Quanto ao secretário nacional do Setorial Sindical do PT, Paulo Cayres, indiciado pela Polícia Civil, o promotor pediu o arquivamento do inquérito, alegando que ele não teria participado diretamente do ataque que levou o empresário Bettoni a bater a cabeça contra o caminhão.

A Agência Brasil não conseguiu contato com o ex-vereador e seu advogado.

 

Foto: Ponta Porã