Por Neuton Corrêa, da redação

 

Deputados que participaram ontem, em Brasília, da reunião da Executiva Nacional do PDT, que decidiu apoio crítico à candidatura do petista Fernando Haddad à Presidência, querem que o partido puna dura e publicamente o governador Amazonino Mendes por ter declarado adesão a Jair Bolsonaro (PSL).

A informação foi publicada nesta quinta-feira, dia 11, em nota da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo. A notícia com o título “Menos, muito menos”, relata:

“Na reunião em que o PDT definiu dar suporte formal à candidatura de Haddad, diversos deputados e dirigentes pregaram que a sigla punisse dura e publicamente o candidato Amazonino Mendes, que disputa o governo de Amazonas e espalhou cartazes por toda a Manaus com sua imagem ao lado da de Bolsonaro”.

Reprodução: Folha de S.Paulo

A nota sobre Amazonino está na sequência de uma informação de que Haddad vai fazer de tudo para colocar em sua campanha o ex-ministro Ciro Gomes, candidato do PDT derrotado no primeiro turno.

O governador e candidato à reeleição, que disputa o segundo turno das eleições no Amazonas, manifestou-se a favor da candidatura de Bolsonaro, após o resultado do primeiro turno, ainda no domingo à noite.

Com essa declaração, Amazonino tenta atrair para sua campanha, neste segundo turno, os eleitores do capitão reformado em Manaus, onde sofreu uma derrota acachapante derrota para o adversário Wilson Lima (PSC), que hoje está no segundo turno.

Já na disputa pela presidência da República, Jair Bolsonaro, na capital amazonense, aplicou a maior derrota ao PT nos últimos 30 anos, vencendo Haddad por uma diferença da mesma forma acachapante, apesar de ter perdido em 60 dos 61 municípios do interior do Estado.

Reprodução/UOL