Titular do cargo de superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa) há mais de um ano, Appio da Silva Tolentino entrou em fritura com fogo ardendo em alto calor.

O grau de insatisfação com a atuação dele chegou a nível generalizado: de seus apoiadores políticos à classe empresarial, que anda angustiada em ver o modelo apanhar calado na mídia nacional.

 

“Pelo bem todos”

Ontem, assim que o BNC AMAZONAS repercutiu a manchete da Folha de S. Paulo, deste domingo, que chamava a ZFM de desperdício para o País, um importante líder empresarial escreveu. “Pelo bem todos, ele deve pedir para sair. Já não deu o que não tinha para dar”.

 

Sem poder de reação

Os líderes empresariais se queixam que a gestão Appio não apresenta poder de reação aos ataques que a Suframa vem sofrendo e dizem notar a falta de prestígio dele junto à Esplanada dos Ministérios. Citam, por exemplo, a falta de notícia sobre encontros dele com o ministro Marcos Jorge de Lima, da Indústria e Comércio Exterior.

Leia mais:

Zona Franca apanha calada em campanha da mídia do Sudeste

 

Fragilização

Para o importante líder empresarial que conversou com o BNC AMAZONAS, a atuação de Appio fragiliza ainda mais a Zona Franca de Manaus.

 

Foto: Divulgação/Edilson Rodrigues/Agência Senado, em 19 de junho de 2018.