O presidente Jair Bolsonaro admitiu ter intervindo na Petrobrás para evitar um novo aumento no preço do óleo diesel. Isso aconteceu no dia seguinte da estatal desistir de aplicar o reajuste de 5,7% nesta sexta-feira (12).

O presidente disse querer saber da Petrobrás dos números para justificar tal reajuste. De acordo com o Portal G1, ele admitiu ter ligado para o presidente da companhia, Roberto Castello Branco.

“Liguei pro presidente, sim. Me surpreendi com o reajuste de 5,7%. Não vou ser intervencionista e fazer práticas que fizeram no passado, mas quero os números da Petrobras, tanto é que na terça-feira convoquei todos da Petrobras para me esclarecer por que 5,7% de reajuste, quando a inflação desse ano tá projetada para menos de 5%”, afirmou o presidente, nesta sexta-feira (12), durante inauguração do novo terminal de passageiros no Aeroporto Internacional de Macapá (foto).

“Se me convencerem, tudo bem, se não me convencerem tudo bem. Não é resposta adequada para vocês, não sou economista, já falei. Quem entendia de economia afundou o Brasil, tá certo? Os entendidos afundaram o Brasil”, completou Bolsonaro.

Leia mais

Especialista afirma que ZFM vai pagar conta de caminhoneiros  

 

Bolsonaro disse que está preocupado com os caminhoneiros, que em maio do ano passado mantiveram bloqueios em rodovias por todo o país e causaram uma série de problemas de abastecimento. O principal motivo foi a alta do diesel.

Por causa do anúncio do aumento no preço do diesel e da intervenção do presidente, a ação da Petrobrás caiu mais de 8%.

Leia mais no G1

 

Foto: Alan Santos/PR