O próximo dia 27 é a data marcada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para julgar recurso do ex-presidente da República Lula da Silva (PT) que pede suspensão do processo no qual é acusado de ter recebido propina por meio de um terreno e do aluguel de um imóvel pagos pela construtora Odebrecht.

O recurso será julgado pela Segunda Turma do STF, formada por cinco ministros. O relator é o ministro Edson Fachin, responsável no Supremo pelos processos ligados à operação Lava Jato.

Lula é acusado pela Lava Jato de receber R$ 12,5 milhões da Odebrecht, na forma de um terreno que seria destinado ao Instituto Lula e por meio do aluguel do apartamento vizinho ao qual ele vivia também em São Bernardo do Campo (SP).

A defesa de Lula nega as acusações e quer suspender o processo sob o argumento de que não teve acesso ao acordo de leniência firmado entre Odebrecht e Ministério Público Federal (MPF), o que teria prejudicado seu direito de defesa.

 

Leia mais

Odebrecht revela à Lava Jato quem é o “Amigo do amigo do meu pai”

 

Situação do petista na Justiça

Lula já foi condenado em outros dois processos na Justiça Federal no Paraná: o do tríplex do Guarujá (SP), que o levou à prisão no ano passado e teve a condenação confirmada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), e do sítio em Atibaia (SP), que já começou a tramitar na segunda instância, no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

Leia mais no UOL.

 

Foto: Reprodução/TV