Pedido de efeito suspensivo a recurso especial contra a condenação de 12 anos e 1 mês de prisão do ex-presidente da República Lula da Silva (PT) foi negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), em decisão assinada pelo ministro Félix Fischer no começo da noite desta terça, dia 12.

A condenação é do caso do tríplex de Guarujá (SP), no âmbito da operação Lava Jato. O objetivo da defesa de Lula era permitir que ele participasse da campanha eleitoral pelo menos até a Quinta Turma do STJ julgar o recurso especial.

Fischer destacou que o recurso especial apresentado perante o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) ainda não chegou ao STJ e aguarda manifestação do Ministério Público Federal (MPF).

Segundo o ministro, até seria possível dar efeito suspensivo, mas desde que ficasse comprovado “algum absurdo ou contrariedade à jurisprudência do STJ”, o que não houve no caso de Lula.

A notícia é do Correio Braziliense.

 

Foto: Reprodução/TV