Prevaleceu a pressão dos partidos do chamado “Centrão” na exclusão de estados e municípios do relatório da reforma da Previdência.

O Centrão é formado por PP, PTB, PRB, PR, PSD, PHS, DEM e Solidariedade.

Por orientação do bloco, não cabe, neste momento, comprometer governadores e prefeitos com mudança na aposentadoria dos servidores.

A decisão saiu da reunião com lideranças partidárias, no final da manhã desta quarta-feira (12), conforme anunciou o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), relator da reforma da Previdência, em reportagem publicada no blog do Gerson Camarotti, no G1.

Segundo Camarotti, o deputado acabou cedendo depois de pressão de parlamentares do “Centrão” que não aceitavam a inclusão de estados e municípios neste momento.

Evitando antecipar o relatório, Moreira (foto) disse ao blog que a ideia é transferir para o plenário a decisão sobre a inclusão de estados e municípios.

Aos líderes, Samuel Moreira afirmou que se houver mobilização, estados e municípios poderão ser reincluídos na reforma por meio de destaque em plenário.

O relator também decidiu que vai incluir em seus textos idade menor para aposentadoria de professores (55 para mulheres e 57 para homens), além da exclusão dos quatro itens acordados com os governadores:

– Retirar do texto o regime de capitalização, uma espécie de poupança que o trabalhador faz para garantir a aposentadoria no futuro;

– Manter as regras atuais de aposentadoria rural;

– Manter as regras atuais de concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos e a deficientes carentes;

– Desconstitucionalização da Previdência, que permitiria futuras mudanças por projeto de lei e não mais por proposta de Emenda à Constituição (PEC) como está sendo feito neste momento.

Leia mais no blog do Camarotti/G1

 

Foto: Antônio Cruz/ABr