Em entrevista aos jornalistas Ronaldo Tiradentes e Neuton Corrêa, no programa “Manhã de Notícias”, da Rede Tiradentes, com participação do BNC Amazonas, nesta quarta, dia 8, a presidente do PT nacional, senadora Gleisi Hoffmann, afirmou que o ex-deputado federal Francisco Praciano sabia, há muito tempo, que não seria candidato do partido ao Senado.

Praciano também sabia que esse nome seria o de Vanessa Grazziotin, do PCdoB, como forma de o PT resgatar dívida de gratidão política com a comunista pela lealdade que demonstrou na defesa de temas de interesse da legenda, como nos episódios do impeachment da ex-presidente da República Dilma Rousseff e prisão do ex-presidente Lula da Silva.

Gleisi falou que o PT tem muito respeito por Praciano, mas que o partido não iria atropelar o projeto nacional, centrado em Lula, para favorecer planos estaduais.

“Agora, eu conversei com o Praciano, ele esteve me visitando há algum tempo no gabinete, disse que tinha vontade de disputar um cargo no Amazonas, não para deputado, gostaria aqui para majoritária, talvez governador, talvez senador. E eu, naquela oportunidade, disse:

Praciano, acho muito boa sua disposição, o partido vai estar junto na caminhada, mas eu devo lhe dizer que para o Senado nós temos um compromisso com a senadora Vanessa, do PCdoB. Somos leais pela lealdade que ela apresentou”, foi que afirma ter dito a presidente do PT ao ex-deputado.

 

Diretório estadual também já estava ciente

A presidente petista disse também que esse posicionamento já era de conhecimento do diretório do Amazonas, antes mesmo de o PT fechar aliança com o PSB em alguns estados.

“Então, nós já tínhamos um compromisso com a Vanessa, já havíamos conversado com o PCdoB e eu já havia ligado e conversado com o PT do Amazonas a respeito disso, de nós apoiarmos a senadora Vanessa em sua reeleição”.

Gleisi disse que o partido avaliou que a candidatura de Praciano representaria um risco à reeleição de Vanessa por concorrer na mesma faixa eleitoral da esquerda. Além disso, alegou que historicamente no Amazonas são eleitos senadores de um lado e outro.

 

E sobre o PSB não engolir Vanessa

Quando perguntada sobre o veto que o PSB do candidato a governador David Almeida teria em apoiar a candidatura de Vanessa, a presidente do PT respondeu que não existe isso em política de alianças. E que a inclusão do Amazonas entre os estados onde haveria a coligação PT-PSB foi indicada pelos próprios socialistas.

“Foi uma opção nossa buscar o PSB, principalmente em setores mais avançados do PSB. E tivemos por parte do presidente [Carlos] Siqueira a indicação de estarmos juntos no Amazonas, de ser importante esse apoio ao candidato David”.

A petista fechou a entrevista dizendo esperar que Praciano avalie a importância para o PT de ter Vanessa no Senado.

 

Veja vídeo da Rede Tiradentes com a entrevista da presidente do PT nacional:

 

 

Leia mais

Embate acirrado entre petistas e comunistas por Praciano e Vanessa

 

Foto: BNC Amazonas