Morre a estrela, mas a sua luz permanece

Para o meu professor José Aldemir de Oliveira (-1954 + 2019)   Wilson Nogueira   Por que choramos os nossos mortos? Choramos porque cada pessoa é um universo. Quando perdemos uma pessoa do nosso convívio, é como se a nossa galáxia perdesse uma estrela. A estrela, sugada pela massa cinzenta da morte, vai existir em […]

O tucumã virou grife cara

  Wilson Nogueira*   A polpa do tucumã é principal recheio da grife da culinária amazonense que, aos poucos, vai conquistando outras praças do país: o X-caboquinho, sanduiche que também agrega banana frita, queijo, para fazer jus ao X (cheese), e manteiga. A invenção tem origem no popular pão com tucumã, consumido com farinha, café […]

Elogio ao bodó

Por Wilson Nogueira*   Se há um ícone para a afirmação “feio, porém gostoso”, este deve ser o bagre bodó ou acari, iguaria da culinária ribeirinha pan-amazônica. Cascudo, galhudo, cabeça achatada, esse peixe parece mais um bichinho pré-histórico. E como se não faltasse fatos para torná-lo ainda mais estranho e, por isso, até repugnante aos […]

[…mas o que é isto?!]

Por Wilson Nogueira*   – Não fiz nada, senhor. – Já lhe disse senhor: não fiz nada! – Sim. Tava lá, mas não fiz nada de errado, senhor. – Não conheço ele, senhor. Não conheço ninguém, senhor. – Aii! Aiii! Aiii…! Não me bata, senhor. – Não vou confessar o que não fiz, senhor! – […]

Biografia apresenta Humboldt com ideias mais que atuais

Wilson Nogueira*   Ao encerrar a leitura de A invenção da Natureza: a biografia e obras de Alexander Von Humboldt (Planeta do Brasil, 2019), de Andrea Wulf, senti-me impregnado de ideias para o ato de começar. Fui apresentado a Humboldt ainda na graduação, no curso de Ciências Sociais da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), no […]

Parintins dos parintintins é o nome da tribo/ Desse lugar*

  Wilson Nogueira**   A cidade de Parintins (AM) celebra hoje, terça-feira, 167 anos de fundação, mas suas terras abrigam o colonizador desde 1796, quando ali se instalou português Pedro Cordovil na companhia de alguns escravos, para se dedicar à pesca de pirarucu, quelônios e peixes-bois. Antes, essa e outras ilhas próximas estiveram habitadas somente […]

Para o Curumim-Escritor

*Wilson Nogueira   A imagem do Tadeu de Souza que guardo na alma e no coração não é a do repórter e apresentador de TV que nos deixou no último dia 6. O que se imprimiu em mim foi a figura do curumim que queria conquistar tudo aquilo que ele veio a ter e ser […]

Victor Hugo no consultório

  *Wilson Nogueira   Ouvi, dia desses, na sala de espera de um consultório odontológico, uma conversa funesta. No mínimo funesta. Disse o atendente à sua interlocutora, uma senhora dos seus quarenta anos: –  Até há pouco tempo, quando a economia ia bem, a maioria dos nossos clientes vinha aqui, primeiramente, pedir um orçamento para […]

Zé Gateiro | Wilson Nogueira | TEXTOBR/BNC

*Wilson Nogueira   No meado da década de 1970, estive no rio Mariacuã, na fronteira do Amazonas com o Pará, na companhia de meu pai, Adolfo Farias Nogueira (já falecido), que era motorista fluvial de uma empresa exploradora de pau-rosa, árvore amazônica cuja essência, o linalol, é usada na composição de perfumes. Próximo à cabeceira […]

Musashi, um livro para compreender o mundo como Universo

Wilson Nogueira (texto e fotos)   Os três volumes da edição brasileira mais recente de Musashi (Estação Liberdade, 2017), de Eiji Yoshikawa, imergem na cultura japonesa dos senhores feudais do final do século 16 e começo do século 17, cujo exercício e controle do poder era determinado pela habilidade dos samurais. É nesse ambiente que […]